Blog

O LEGADO PERENE – ALINHAMENTO AOS ATRIBUTOS DA SOCIEDADE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Pensar em deixar um legado não é pensar nas carências da população, mas sim nos atributos de uma comunidade que podem ser estimulados.

A sociedade tem um dinamismo próprio, e dentro dele e paralelamente a ele as populações mais vulneráveis se organizam e constroem seu lugar na sociedade.

Precisamos ter consciência e atitude transformadora que nos capacite a enxergar o que de fato é um legado perene. O emprego e a renda não são perenes, mas a capacidade empreendedora é algo que alavanca e conduz ao progresso e a transformação social.

Entender o legado que Institutos e Fundações podem deixar começa pela relação de proximidade que se mantém com a sociedade e a percepção de iniciativas não usuais, criativas e resilientes que surgem de maneira espontânea para o enfrentamento de suas carências essenciais. Incentivar estas iniciativas, injetar recursos financeiros no seu desenvolvimento, agregar inteligência acadêmica e eficiência operacional é buscar a estruturação e a perenidade destes novos modelos.

Por vezes nos aproximamos de uma realidade com base em critérios e indicadores dentro de uma lógica já conhecida, única e comum, que nos leva a propor soluções padronizadas que, em função de conjunturas exógenas perdem o sentido e a efetividade ao longo do tempo.  Temos que fomentar, verticalizar e dar escala, a iniciativas já existentes incubando projetos de economia local e solidária, gerando oportunidades de inserção produtiva, estimulando a implantação de novos modelos de negócios que impulsionem os projetos autossustentáveis daquela comunidade.